Meus interesses:
- Física
- Neurociência
- Antropologia
- Origem da vida
- Teoria da Evolução
- Teoria dos Sistemas e Complexidade
- Relativismo Religioso

Outros interesses:
- Escrever artigos científicos
- Cinema
- Música
- Fotos

domingo, 15 de janeiro de 2017

Amor = sobrevivência da espécie humana no planeta!

Resumo: com ideias claras e simples este artigo mostra ao leigo ou qualquer aluno de ensino médio, a relação entre o amor e a teoria da evolução, o início, digamos assim, da parte mais avançada dessa teoria pois envolve sentimento e emoção, sem eu falar de estruturas corporais e funções orgânicas dos seres vivos.

Palavras-chave: amor, emoção, sentimento, teoria da evolução

Mais de sete bilhões de seres humanos na Terra apesar de todas as guerras, catástrofes, epidemias, homicídios, doenças, ou seja, tudo o que pode levar homens e mulheres a perecerem.

Em 1850 a população mundial era de aproximadamente um bilhão de pessoas. (1). Crescemos 600% de lá para cá mesmo com tudo de ruim citado acima.

Tenho vários artigos que cito em (2) sobre o papel dos sentimentos e emoções para a perpetuação de nós seres humanos aqui na Terra, mas, agora, quero falar apenas do amor, esse tão belo, procurado e sublime sentimento. Meus artigos são científicos de um nível elevado e prefiro neste momento descrever as minhas ideias primeiro de uma maneira menos formal, menos científicas, para depois finalizar este texto através de uma pequena ponte com a ciência. Assim será mais fácil o entendimento do texto.

O amor está inextricavelmente ligado às nossas vidas. Você ama seus pais, irmãos, esposa (o), filhos, outros parentes e amigos. Dá para imaginar um mundo sem o amor? Realmente não; seria surreal mas, antes de tudo, impossível. Ódio e raiva, só para citar essas duas emoções negativas, acabariam conosco muito antes das civilizações antigas.

Precisamos do amor para gerarmos descendentes? Necessariamente não mas é com ele onde acontecem os maiores números de uniões entre pessoas e nascimentos de crianças.

Também quero falar da nossa procura pelo amor, por alguém muito especial, viver intensamente esse sentimento. Faz parte das nossas vidas, bem-estar e procuramos o amor mesmo depois de uma separação; procuramos por mais filhos com um novo relacionamento, e, sempre ela, a felicidade.

A ligação entre pais e filhos, os cuidados durante anos, às vezes por mais de uma década, com nossas vidas dedicadas a eles também nos mostram a força poderosa desse sentimento. Se eu disse que a falta de amor levaria o ser humano à extinção devido aos sentimentos e emoções negativos, não há razão para nos aprofundarmos tanto: sem o amor não haveria nenhuma proteção e cuidados com os filhos imaturos, bebês, em uma terrível relação de total falta de consideração, moral, ética, humanidade, uma relação totalmente impensável, etc. Essa ligação é muito forte a ponto de darmos as nossas vidas por eles.

Você pode não acreditar ou concordar com a teoria da evolução mas, tenho certeza, considerou essas ideias expostas aqui como sendo lógicas, algo muito verdadeiro. Pronto: você acabou de achar lógica a própria teoria da evolução de Charles Darwin. E justo no que há de mais moderno nessa teoria: o papel fundamental dos sentimentos e emoções para a sobrevivência do ser humano na Terra, representado aqui pelo maior e mais poderoso sentimento que possuímos.

Note a presença de sentimentos com os filhotes de mamíferos e aves onde a energia e o cuidado com eles são fundamentais em termos de sobrevivência. Já répteis e peixes colocam ovos onde nascem muitos filhotes; alguns serão atacados por predadores ou o meio ambiente fará com que percam suas vidas, mas também outros muitos irão sobreviver dando continuidade à espécie. São animais quase totalmente frios, com poucas emoções e sentimentos.

Estes dois últimos parágrafos foram escritos diretamente sobre ciência como eu disse que iria fazer.


Notas:

1:
Mundo Educação. Crescimento da população mundial. Disponível em: < http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/crescimento-populacao-mundial.htm >. Acesso em: 14/01/2017.

2:
A base material dos sentimentos. Argos Arruda Pinto. Revista Cérebro e  Mente. Disponível em: < http://www.cerebromente.org.br/n12/opiniao/sentimentos.html >. Acesso em: 14/01/2017.
In english:
The material basis of feelings. Argos Arruda Pinto. Revista Cérebro e  Mente. Disponível em: < http://www.cerebromente.org.br/n12/opiniao/sentimentos_i.html >. Acesso em: 14/01/2017.

A base material dos sentimentos - II. Argos Arruda Pinto. Revista Cérebro e  Mente. Disponível em: < http://www.cerebromente.org.br/n13/opiniao/material.html >. Acesso em: 14/01/2017.
In english:
The material basis of feelings - II. Argos Arruda Pinto. Revista Cérebro e  Mente. Disponível em: < http://www.cerebromente.org.br/n13/opiniao/material_i.html >. Acesso em: 14/01/2017.

O porquê dos nossos sentimentos. Argos Arruda Pinto. Revista Cérebro e  Mente. Disponível em: < http://www.cerebromente.org.br/n14/opinion/material3.html >. Acesso em: 14/01/2017.

O porquê dos nossos sentimentos - II. Argos Arruda Pinto. Revista Cérebro e  Mente. Disponível em: < http://www.cerebromente.org.br/n15/opiniao/sentimentos2.html > Acesso em 14/01/2017.
In english:
Our feelings. Why do we have them? - II. Argos Arruda Pinto. Revista Cérebro e  Mente. Disponível em: < http://www.cerebromente.org.br/n15/opiniao/sentimentos2_i.html >. Acesso em: 14/01/2017.


Observação:

Os artigos da Cérebro e Mente também estão na página:
Sistemas, teoria da evolução e neurociências. Argos Arruda Pinto. Disponível em: < http://sistemaevolucaoneurociencia.blogspot.com.br/ >. Acesso em: 14/01/2017.

  • Leia também na mesma página: A base material dos sentimentos: Por que existem emoções e sentimentos negativos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário