Meus interesses:
- Física
- Neurociência
- Antropologia
- Origem da vida
- Teoria da Evolução
- Teoria dos Sistemas e Complexidade
- Relativismo Religioso

Outros interesses:
- Escrever artigos científicos
- Cinema
- Música
- Fotos

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

A intencionalidade como um dos comportamentos mais importantes da evolução e da psicologia evolucionista

Palavras-chave: neurociência; consciência, evolução; psicologia evolucionista

Uma lagarta está se alimentando de folhas e notamos claramente uma intenção nesse fato. Vejo você comendo uma maçã e também há intenção no seu ato de comê-la. Existem muitas diferenças entre os dois eventos mas cito aqui apenas dois: a intenção inconsciente da lagarta e a sua intenção consciente.

A consciência tem como principal característica, a sua essência, na intencionalidade, com respeito a um objeto, real ou imaginário (Cobra, 2005),  como bem dizia o filósofo da atual República Checa (antiga Morávia) Edmund Husserl (1859-1938): “Se há consciência, é consciência de algo”.

Quando digo “(Eu) Quero realizar tal tarefa”, a intenção está contida na consciência e eu poderia dar muitos exemplos dessa natureza onde, quando queremos algo, seja lá o que for, a consciência está presente com a intencionalidade.

Animais como as lagartas agem inconscientemente devido à programação genética que possuem, realizando funções automaticamente para se alimentarem, se protegerem, gerarem  filhotes, enfim, terem uma vida simplista em relação a nossa mas sendo vida também.

A natureza está cheia de intenções. Não fosse assim não sobreviveríamos e nenhum organismo simples em estrutura como a lagarta também não.

A consciência é um dos maiores problemas da ciência para cientistas e filósofos resolverem acerca de sua origem no sistema nervoso e como funciona, o que é! Existem até comentários de pesquisadores em formularem uma “ciência da consciência”, tal o nível de dificuldade ao  se lidar com ela.

Acho muito interessante o fato da intencionalidade acompanhar seres vivos inconscientes de bilhões de anos atrás e, mesmo depois de tanto tempo, aparecer em animais conscientes. Talvez não se possa falar em UM gene do comportamento intencional, mas, um conjunto deles sendo preponderante para a intencionalidade, junto ao comportamento inconsciente como um todo, se perpetuou ao longo da evolução porque tornava muito mais fácil a sobrevivência dos organismos que os continham. Depois chegou a consciência onde possui como uma das características mais importantes a intenção.

Um comportamento então se perpetuou, o comportamento intencional. De um protozoário englobando um alimento para digeri-lo, a um caçador coletor escolhendo peles de animais para se proteger melhor do frio, de um aborígene construindo uma gaiola de gravetos, a capturar aves, até um planejamento de uma  empresa de alimentos a levá-los em seus pontos de vendas, tudo é intenção.

Fala-se muito por aí em ação. Mas intenção, que provém do latim “intentio” (1),  significando alongamento, esforço, é pouco mencionada. Ação requer, sem dúvida, de esforço. O que seria da ação se não houvesse intenção?  Não haveria conquista, construção, resultado,  nada!

Notas:

1 - Dúvidas de Português. Dicio. Disponível em: < https://duvidas.dicio.com.br/intensao-ou-intencao/ >. Acesso em 23/12/2016.


Bibliografia:

COBRA, Rubem Q. - Fenomenologia. Temas de Filosofia, Site www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 2001, rev. 2005.